Mensagens

"É bom existir, porque a promessa é mais forte que as ameaças"

Imagem
POVO  20.04.2018
"Não é uma certeza dizer que a vida do homem em si seja um dom. Pode deveras ser um bonito dom? Sabemos o que está sobranceiro sobre o homem nos tempos obscuros que vemos diante de nós — ou nos mais luminosos que possam vir? Sabemos prever a quais aflições, ou eventos terríveis poderá estar exposto? É justo oferecer a vida assim, simplesmente? É responsável ou demasiado imprevisível? É um dom problemático, se não for cultivado. A vida biológica por si mesma é um dom, embora cercada por uma grande dúvida. A vida torna-se um dom verdadeiro se juntamente com ela se puder doar também uma promessa que é mais forte do que qualquer desventura que nos possa ameaçar, se ela for imersa numa força que garante que é bom ser um homem, que por este homem tudo o que o futuro trouxer é um bem. Assim, ao nascimento deve ser associado o renascimento, a certeza de que na verdade é bom existir, porque a promessa é mais forte do que as ameaças."
Bento XVI no dia do seu 85º aniversário, 16…

Irmã Guadalupe :: Situação na Síria

Franciscano na Síria: “Assad não usa armas químicas. É tudo uma grande mentira”

Imagem
PT.ALETEIA.ORG  18.04.2018 Padres católicos na região denunciam: "A imprensa deveria dizer toda a verdade" O padre Bahjat Elia Karakach, franciscano da Custódia da Terra Santa, é um dos mais respeitados religiosos católicos na Síria. Superior do convento dedicado à conversão de São Paulo, a principal paróquia de rito latino na capital, Damasco, ele usa palavras duríssimas para denunciar que o governo sírio está sendo alvo de uma mentira alimentada pelos Estados Unidos e pelos seus aliados na Europa, no Golfo Pérsico e no Oriente Próximo. O padre Bahjat se refere às acusações de que o governo do ditador Bashar Al-Assad teria usado armas químicas contra civis na região de Goutha, a poucos quilômetros de Damasco, na semana passada. O suposto ataque já foi negado também pelos russos, aliados de Assad, que acusam os norte-americanos e britânicos de terem forjado esse crime com a manipulação de informações e imagens alegadamente tiradas do seu real contexto. Goutha é um dos último…

Projeto nos Camarões

Imagem
PROJETO MEHANDAN nos CAMARÕES

"Fez-me a maior impressão quando vi as fotos das crianças que a Constança, nossa sobrinha, acolhe, trata, alimenta, ajuda, no seu voluntariado de 7 meses, nos Camarões."
Uma família que já entre si angariou 4.500€ pede ajuda para chegar aos 9.000€ do custo para 
Adquirir um Eletrocardiógrafo (ECG) e o equipamento necessário para a consulta médica e de cardiologia (tensímetro, glicosímetro, divã de exame, etc.)
O NIB é o 0018 0351 0020 0020 8963 9. Quem pretender passam recibo. 
Conheça o projecto MEHANDAN aqui e as suas necessidades

Carta Papa Emérito ao Corriere della Sera

Imagem

Faz essa obra!

Imagem
PEDRO ARROJA   2017

LIVRO COMPLETO "O JOÃOZINHO" - http://portugalcontemporaneo.blogspot.pt/2017/09/joaozinho-vol-i.html

CAP 9

E, de repente, Deus colocou diante de mim - pela mão do Professor António Ferreira - uma obra monumental. Fazer um hospital de crianças por via mecenática no valor de 20 milhões de euros.

Nem hesitei. Obras para crianças eu sabia fazer, na realidade a maior parte da minha vida e - concluía eu agora, a melhor - tinha sido passada a trabalhar para crianças. Eu iria fazer esta obra.

Há mais de vinte anos que a obra era devida. As crianças internadas na pediatria do segundo maior hospital do país - e primeiro, em termos universitários - estavam agora instaladas numa construção feita de contentores metálicos.

Se o Estado não tinha feito a obra até então, não era naquela altura que a iria fazer de certeza. Estávamos em finais de 2013, sob o regime de austeridade nas despesas públicas imposto pela troika.

Numa visita, anos antes, a um hospital da Grã-Bretan…

Nem faz amor nem sai de cima

Imagem
LUÍS AGUIAR CONRARIA    OBSERVADOR    18.04.2018

Com o historial que o Estado tem de obras que ficam a meio anos a fio não deixa de ser irónico que, no São João, se bloqueie uma obra financiada por mecenato com a desculpa de que esta pode não acabar.
Quando eu era estudante de liceu em Coimbra, anos 80 do século passado, tinha alguns colegas de Miranda do Corvo e da Lousã. Iam todos os dias para as aulas de comboio, ou, melhor dizendo, numas automotoras que, apesar de antiquadas, cumpriam muito bem o seu papel. Essa linha férrea servia as populações entre Coimbra e a Lousã, que diariamente a usavam. Para se perceber a utilidade desta linha férrea basta referir que, em 2009, a CP transportou um milhão de passageiros. Digo 2009 porque, em 2010, os carris foram literalmente arrancados para serem substituídos por um metro ligeiro de superfície. Até se criou uma empresa, a Metro Mondego, com Presidente Executivo, Conselho de Administração, Gabinete Jurídico, Assembleia Geral e essas coisas t…